10 janeiro, 2017

Eucaristia com o Mestre Geral da Ordem Dominicana

           


Ontem, dia 9 de janeiro tive a possibilidade de poder assistir/participar na eucaristia no convento dos irmãos Dominicanos que contou com a presença do mestre geral da Ordem Dominicana.
Confesso que ansiava por este "encontro"! Não é algo que aconteça com muita frequência. E para mim foi sem dúvida um privilégio.

Cheguei muito cedo ao convento, estive em oração individual...aguardando a hora da Eucaristia. Ora com o aproximar da hora, irmãs e frades iam chegando....e o mestre geral era somente mais um...que chegou com uma simplicidade...uma serenidade espantosa.

A Eucaristia com vésperas, decorreu com normalidade, tendo presentes e a presidir vários freis...
O mestre geral presenteou-nos com uma brilhante "catequese" acerca do Evangelho do dia que era o baptismo do Senhor...fê-lo em francês, mas a tradução simultânea ficou a cargo de outro frei. E que brilhante tradução foi também feita.

Terminada a Eucaristia e sem estar á espera, tive a oportunidade de estar e "falar" um pouco com o mestre geral. Que homem fantástico. Que simplicidade e afeto tinha nas suas palavras e atos.

Agradeço a graça de ter conseguido estar presente num momento tão especial e importante para esta minha "nova" família...a família dominicana.


Ângela Silva – VTS Lisboa

09 janeiro, 2017

O sinal da irmã Ana Lucas

Ontem, dia 8 de janeiro foi um dia muito emotivo e especial.
Ontem fez anos que a nossa querida madre Teresa de Saldanha partiu para o Pai, contudo havia outro motivo para Lhe dar graças .
A Ana Margarida Lucas fez os seus primeiros votos como irmã. Deixou de ser noviça...para ser "toda de Deus".

O que posso eu dizer da Ana? Muito pouco...para adjetivar o seu caráter...a sua personalidade...o seu amor a Deus. Ela teve um percurso católico "normal". Foi uma jovem muito ativa na sua paróquia. E, quis Deus que pertence-se á Ordem Dominicana, primeiramente como VTS (Voluntaria de Teresa de Saldanha). Era muito notório o muito que ela sabia sobre liturgia, oração, mas era ainda mais notório o seu enorme amor por Deus. A sua vontade de O seguir. Com verdade!

Ela foi para mim uma presença muito forte de Deus.

A sua escolha de vida não foi tomada de Ânimo leve com certeza, mas ela sabia que esse era o seu caminho de felicidade. Pois Deus colocou-nos neste mundo para sermos felizes. Só temos de encontrar esse caminho, com a sua ajuda. Se assim o quisermos.
Sendo católicos devemos tomar decisões da e na nossa vida. Temos de ser fieis a Cristo, saber a razão pela qual O seguimos. E segui-Lo de facto. Sem medo. Medo este que temos.



Quer sejamos irmãs, padres, freis...leigos todos temos este "medo"....mas sabemos que ao sairmos da nossa rotina...do que nos é mais cómodo...e ao seguir Jesus vamos percorrer o caminho da felicidade, mesmo com os espinhos e pedras que esse caminho terá.















Ontem a cerimónia da irmã Ana foi muito bonita. Nunca tinha tido a oportunidade e o privilégio de assistir a algo tão belo. A entrega dela a Deus de alma e coração foi algo que me tocou profundamente.


Ali estava ela, depois de um caminho muito duro...ali estava perante a sua família, amigos, outras irmãs, frades e perante Deus. E pediu para ingressar na Congregação das irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena....e com muito amor foi aceite de braços abertos. Ela deu-se por completo. POR COMPLETO.


O seu véu era agora preto em vez de branco. A cruz de Cristo que recebeu colou-a ao peito para ser um símbolo e uma marca de Jesus. Seguindo os passos de Domingos....de Teresa de Saldanha.


E os membros do Voluntariado de Teresa de Saldanha ali estavam...a assistir...a sorrir...a orar por ela. Ela já não é uma VTS...é muito mais...muito mais. É a "nossa" mana Ana.
Foi especial olhar para o rosto de vários VTS, nomeadamente para os de Lisboa que poderão privar com ela durante mais tempo... e ver a doçura e o orgulho no passo que esta VTS estava a dar. Deus sabe o que nos faz mais feliz... está atento. .. e a seu tempo...nos concede o que mais precisamos.


Que Deus seja louvado sempre e para sempre.

"Feliz mil vezes feliz sou eu e por tudo dou graças a Deus" - Teresa de Saldanha

"Não há maior alegria do que ser toda de Deus" - Teresa de Saldanha

Ângela Silva – VTS Lisboa

06 janeiro, 2017

VTS de Lisboa - O balanço de 2016, perspectivas para 2017

Com o inicio do Novo Ano de 2017 há que fazer o balanço dos acontecimentos do ano que terminou no que respeita ao que foi feito e vivido no âmbito do VTS-Voluntariado Teresa de Saldanha, quer a nível local quer a nível nacional.

Começo por lembrar o encerramento do ano Jubilar das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, que teve lugar em Janeiro de 2016 e dos diferentes eventos destaco a inauguração da placa evocativa da Madre Fundadora no Jardim da Rua Gomes Freire, no local onde a MF viveu os últimos anos da sua vida. Foi uma cerimónia singela mas cheia de significado.

No âmbito destas comemorações não posso deixar de lembrar a Missa celebrada na Basílica da Santíssima Trindade, em Fátima, com a presença de Irmãs de diversas províncias, leigos e familiares.

O ano Jubilar (2015-2016) comemorava os 100 anos da Morte de Teresa de Saldanha e os 150 anos do início da Congregação.

Durante todo o ano de 2016 a comunidade do VTS de Lisboa realizou mensalmente as suas reuniões em que delineavam os trabalhos a desenvolver, promoveram angariação de fundos, tiveram momentos de oração em comum.

Retiros com momentos de oração e temas diversos. Os momentos de oração foram preparados por diferentes grupos e para mim tiveram um significado especial pois permitiram um “encontro” muito intimo com Deus.


Para 2017 devemos continuar o estudo da vida de Teresa de Saldanha para melhor compreendermos a dimensão da sua obra e focar as nossas atividades em prol do “outro”.



Olimpia de Castro

Os meus votos para o novo ano que está a chegar


Pensar e falar sobre o ano 2016 tem um sabor agridoce. Foi um ano muito difícil, mas que terminou de forma muito positiva.

Foi um ano complicado a diversos níveis: saúde, profissionalmente e a nível espiritual.

A nível de saúde percebi, este ano, do quão frágil é o ser humano. De um momento para o outro podemos desaparecer.

A nível profissional deparei-me com situações complicadas. Pelas quais nunca tinha pensado, nem imaginava passar. A maldade das pessoas ainda me surpreende. Foi uma grande luta, nunca desisti. Não podia. E tendo Deus comigo sentia e sabia que apesar de ser um caminho com muitos espinhos tinha de o percorrer. Sempre com fé e confiança.
Neste momento, já estou empregada num local onde nunca imaginei estar, mas onde queria muito pertencer. E Ele sabia que esse era um dos meus desejos mais profundos. Foi no tempo e momento certo.

Hoje olho para trás e vejo que se não tivesse confiado em Deus não teria conseguido. Nem sei como consegui. Ele esteve sempre no comando. Sozinha nunca teria conseguido e agradeço muito por todas as graças que recebi.

Olho para o passado e tenho tanto para agradecer. O que Ele tem feito pela minha filha, a sua sempre proteção paternal. Ele sabe que, para mim, é fundamental que ela esteja bem, pois caso contrário o meu mundo desmorona. Mas penso que é assim para qualquer Mãe e Pai.

Durante este ano cresci imenso. A nível pessoal e espiritual. Contudo, não cresci sozinha. Tive sempre o importante apoio dos meus pais, de alguns membros do VTS- Lisboa, de algumas irmãs e do meu marido que é, sem dúvida, o meu melhor amigo e pilar. Este conjunto de pessoas nunca me deixou cair, nem desistir.

A nível espiritual também a minha fé foi colocada em prova. E tenho sempre receio de desiludir a Deus. Tive algumas desilusões oriundas de pessoas que não estava de todo à espera. Tive também algumas atitudes que não queria e das quais não me orgulho, mas que foram necessárias. Pois às vezes sou demasiado simpática e, por vezes, à quem se aproveite e acha que pode dizer tudo e fazer-me tudo e eu nada digo. Isso também foi importante, fazer-me entender de que não me podem fazer nem dizer tudo...e que não o posso aceitar de ânimo leve. E a importância e a necessidade de dizer NÃO.

Foi uma aprendizagem dura, muito dura, mas necessária. Agora consigo compreender isso.
Foi um ano em que procurei muito a Deus, queria saber mais….cada vez mais. Para melhor O servir.

Para o novo ano desejo que os que amo tenham saúde, alegria, amor, concretizações pessoais e a presença de Deus nas suas vidas.
Desejo muito a paz nos locais em guerra, nomeadamente na Síria. Que o massacre de tantos inocentes termine. Que em África diminuam as mortes e a fome de tantas pessoas.
Que, no nosso país, diminua o número de sem abrigo, de crianças a sofrer devido aos seus pais, por morte ou por violência. Que quem está sedento de Deus O encontre e viva na Sua alegria e no Seu amor.

Para o VTS desejo crescimento e amadurecimento. Que nunca nos esqueçamos do fundamental que é Deus, que trabalha em nós. Que tenhamos em S. Domingos, em Catarina de Sena e em Teresa de Saldanha exemplos de vida para melhor servir a Deus e aos nossos irmãos.

Com Deus tudo é mais fácil, mais leve, mais suportável. Basta confiar.
Ele nos continuará a guiar pelo caminho da felicidade.

Bom ano 2017 a todos

Ângela Silva ( VTS Lisboa)