26 junho, 2018

VTS em AVEIRO - O ENVIO




Nós fomos enviados, para quem crê e até para os descrentes, há sempre uma força que nos impele a ir, que nos faz escolher determinado caminho e seguir… Essa força que nos envia e à qual eu chamo Deus, o companheiro de todas as horas, impele-nos a partir, mas o roteiro não é claro, há muitos caminhos por onde seguir, as escolhas são variadas e nem sempre acertamos.
O segredo?! Bem, dizem que é estar atento aos sinais, escutar no silêncio o chamamento e deixar que essa voz interior que insiste, persiste e não desiste fale connosco e nos guie. Mas como é difícil esta tarefa… O “barulho das luzes”, que é como quem diz, as várias distrações que temos no nosso dia-a-dia fazem-nos desviar a atenção daquilo que realmente importa, do verdadeiro sentido da viagem em que embarcamos.
Mesmo assim, e porque Ele não desiste de nós, há breves momentos, pequenas paragens e pessoas, que ao longo desta viagem nos despertam para este grande mistério que é a vida e, que nos fazem questionar a nossa existência, permitindo-nos abrir horizontes e querer ir mais além, ser mais além…
Além daquilo que conhecemos, além dos nossos medos, além das nossas fronteiras, além de nós mesmos…
É este o espírito de um voluntário, ser mais onde quer que se encontre, dar mais onde quer que vá. E, certamente, receberá muito mais do que imagina ser possível.

No passado dia 3 de Junho, estivemos reunidos em oração, rezámos pela partida em missão de três voluntários, a Ana Emanuel que já se encontra em Timor e que por lá ficará durante 3 meses e, que com todo o seu dinamismo, juventude e todo o seu amor viverá a experiência da sua vida. O tanto que dará parecerá pouco comparado com o tanto que receberá! E nós, António e Liane, marido e mulher juntos, vamos além da nossa zona de conforto trabalhar com as irmãs e as crianças que acolhem com tanto amor, na Madeira, será apenas uma semana, em Agosto, que por certo passará a correr mas ainda assim que o pouco que temos saibamos dar em abundância!


“Recebe, Senhor
Este sim que aqui te digo
Que o Teu amor
Seja sempre o meu destino
Só Tu és caminho
Que procuro a cada passo desvendar
Sei-Te comigo
Sorri-me, dá-me a mão, vou confiar
Sorri-me, dá-me a mão, vou-me encontrar
Sorri-me, dá-me a mão, vou-me entregar”

Cântico: “Aqui estou, Senhor” Oração de envio, 3 de Junho 2018

01 abril, 2018

Retiro Nacional VTS - Fátima 23 a 25 Março de 2018


Quem diz que os retiros podem ser semelhantes todos os anos?
Podem crer que estão redondamente enganados!

Mesmo que fosse o mesmo formato, as mesmas pessoas, é sempre diferente, porquê? 

Porque tudo o que nos rodeia no momento se faz e se torna 



UM MOMENTO ÚNICO E VERDADEIRO!


Mais uma vez, este ano foi um momento único, mágico e poderei dizer que cada ano que participo, sinto que a minha razão de ser VTS é cada vez maior, pois a Esperança, o Amor, a Semente está sempre a crescer, porque cada um de nós é importante e faz parte desta Família!

Foi diferente sim, porque este ano estive com outros elementos novos do VTS, e principalmente estive com as minhas duas filhas Beatriz e Mariana, ao qual fico agradecida por ter sido abençoada por duas lindas meninas que se sentem VTS desde o seu nascimento, não porque a Mãe o é, mas porque elas próprias vivem a vida Cristã, a vida Dominicana, a vida de um VTS ao mais alto nível e só porque se sentem bem!






Isto é Amor? Isto é Esperança? Isto é a Verdade?
Isto é a Vida? Isto é a Semente?

Todo o tempo do Retiro foram momentos de questões, inquietudes, dúvidas, algumas certezas, mas levou a grandes reflexões de que Nós podemos ser mais e melhor!

Na Eucaristia do Domingo de Ramos, veio à memória os grandes encontros de Jovens por ser Dia Mundial da Juventude, e senti o mesmo que sentia naqueles tempos de “juventude”, ESPERANÇA, E QUE SOMOS A SEMENTE! Olhando para as crianças, senti a ESPERANÇA ainda mais acesa,olhando para todos os VTS senti a SEMENTE a crescer! E hoje após a Ressurreição de Cristo, somente tenho palavras para dizer a todos vós:


RESSUSCITOU! RESSUSCITOU! ALELUIA! ALELUIA!
UMA PURA SEMENTE DE ALEGRIA! ALELUIA ALELUIA!


Obrigada VTS Nacional,
SOMOS UM! SOMOS FAMÍLIA! SOMOS ESPERANÇA!
SOMOS AMOR! SOMOS A SEMENTE!
FAZER O BEM SEMPRE!



Rita Ribeiro de Castro

Retiro Nacional do VTS ( 23 a 25/03/2018)


“Hossana, hossana!”

A mais alta forma de louvor de alegria. Alegria que senti ao viver a Eucaristia deste Domingo de Ramos com os meus manos do VTS em Fátima, por ocasião do nosso retiro nacional. Foi muito bonito constatar que essa mesma alegria que me fez querer fazer parte do VTS, há dois anos, é a mesma que continuo a sentir quando estou com eles reunida. Foi uma missa multicultural, com cânticos alegres e ritmados, com danças que nos ajudam a rezar, com leituras proclamadas com a certeza na voz.



Hossana, hossana!”

Saber que fazer parte desta família, de me dedicar ao voluntariado, é expressão deste louvor ao nosso mestre, Jesus. Este Jesus que com os nossos ramos, com tudo aquilo que somos, acolhemos em Jerusalém e proclamamos como Messias, como filho de Deus. E esta alegria que Ele nos faz experimentar, esta alegria de nos sentirmos com Ele, amados por Ele, tem que ser realmente motivo da nossa esperança, esta Esperança que Ele é. Que nos leva a viver sem medo do amanhã, que nos faz querer dar mais neste hoje que é dom, que nos desafia a ser sempre “construtores da paz”.


“Hossana, hossana!”


Possam as sementes que recebemos, como símbolo, no final da Eucaristia germinar, crescer e desabrochar em lindos ramos de oliveira e alecrim e possamos nós, enquanto VTS, continuar a fazer caminho na alegria, na esperança e na paz.


Ana Emanuel Nunes

22 março, 2018

FAZER O BEM SEMPRE! - VTS


VTS AVEIRO na Festa de São Lázaro


“Lázaro, Ramos, Páscoa estamos...”


 
Hoje foi dia de celebrar o São Lázaro com a comunidade de São Martinho da Gândara. O dia começou tímido e um pouco molhado, mas depressa as incertezas se dissiparam e o sol brilhou, provando que é necessário ter fé e acreditar no poder da oração, tal como fizeram as irmãs de Lázaro.

Assim, como já vem sendo tradição, o VTS de Aveiro marcou presença nesta festa que tão bem nos tem acolhido. Desta vez levamos vários produtos caseiros, bolachinhas, bolos, compotas, ginjinha do convento (que tanto furor fez), e claro os livros para pequenos e graúdos sobre Teresa de Saldanha e a Espiritualidade Dominicana, tudo em troca de um pequeno donativo que nos permitirá apoiar algumas missões já no próximo Verão. Tudo fez parte da festa e tudo serviu para divulgar Teresa de Saldanha e a congregação das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena.




Mas também houve espaço para a reflexão e, durante a homília, escutámos que muitos são os idosos que cada vez mais vivem sozinhos, sofrem sozinhos e morrem sozinhos... Será que nos esquecemos que nós seremos os idosos de amanhã?
Numa sociedade cada vez mais envelhecida é urgente redefinir prioridades, e cada um de nós deve ter um papel ativo e contribuir para a valorização destas pessoas. 


Ser VTS é isto, é ir ao encontro, é desinstalarmo-nos, é acreditar que um pequeno gesto pode fazer a diferença, é partilha e serviço e é fazer de tudo isto lema de vida, sempre com o objetivo de fazer o bem.

Lázaro, Ramos, Páscoa estamos, é este o caminho até à ressurreição e é este o caminho para quem acredita num Deus Vivo, um Deus que caminha e faz caminho connosco!



Liane Pinho

11 outubro, 2017

“Partimos…vamos…somos!!”

 “Partimos…vamos…somos!!”

Nos passados dias 6 a 8 de Outubro, realizou-se o XI Encontro Nacional do VTS (Voluntariado Teresa de Saldanha), no qual se comemorou também o seu 15º Aniversário.
Teresa de Saldanha (Fundadora da Congregação e nossa mentora espiritual) dizia “A obra é de Deus, ele quer que actuemos” . Ora foi isso que também nos propusemos fazer no nosso Encontro Nacional. Sair para a rua e divulgar a mensagem da nossa Madre Fundadora era a nossa tarefa.
Este foi o sinal de partida. Mas após um sinal de partida é preciso uma vontade de seguir, de ir, de não ficarmos apenas parados na linha de partida. Foi necessário confiar, acreditar e não temer, pois Deus manifestar-se-ia através das nossas acções.
Em caminho, conhecemos novas pessoas, outras realidades: quem não queria ouvir; quem não sabia que afinal queria e precisava ouvir e quem queria ouvir mesmo sem saber o que iria ouvir.
Sempre no espírito de S. Domingos e de Teresa de Saldanha, tentámos levar a mensagem e deixar no coração de cada pessoa que encontrámos a semente que poderá, com a vontade de Deus, germinar.
Partimos nesta missão, caminhámos em conjunto e ao chegar, na alegria do retorno a casa ouve-se “aquela voz” no interior do nosso cérebro que traduz em compreensão aquilo que o coração já sabia: …é isto que nós somos, são os nossos actos que nos definem, e na certeza de que levámos o amor de Deus e de Teresa de Saldanha ao outro que encontrámos na “estrada” da Vida, sabemos que também o amor de Deus nos encontra…SEMPRE!.
Partimos…vamos…somos e seremos sempre VTS!

André Silva
11/10/2017

XI Encontro Nacional do VTS - 15 anos em Missão!



04 outubro, 2017

02 outubro, 2017

Parabéns ao VTS! 15 anos a fazer o bem!

Estamos todos de parabéns!

Já somamos 15 anos de existência ("oficialmente"), embora os primeiros voluntários tenham iniciado a sua vontade de fazer o bem, um pouco mais cedo e daí resultar este maravilhoso grupo. São 15 anos de história para o VTS e para a Família Dominicana!

Parabéns aos primeiros Voluntários, pois foram eles que deram o primeiro passo de arranque para se criar este grupo!
E parabéns a todos os Voluntários que pelo VTS passaram e marcaram a sua história e por todos os que ainda passam e permanecem como Voluntários do VTS.

Tudo começou com um grupo de 6 a 8 jovens com vontade de fazer missão, e agora que já somos vários grupos com vários jovens com a missão de continuar a Fazer o bem sempre!

Queremos ser mais...
Queremos fazer mais...
Queremos estar mais...
Queremos mais VTS!


Venham mais 15 anos...! :)

Rita Ribeiro de Castro
VTS de Lisboa

16 setembro, 2017

Retiro Nacional do VTS foi mágico!!!!


Estamos a aproximar do Encontro Nacional do VTS, vale a pena recordarmos momentos mágicos deste ano passados no Retiro Nacional em Fátima!!!!

Esperamos por mais!



Fazer o bem sempre!
Rita Ribeiro de Castro

06 junho, 2017

Ao encontro do caminho… Drave!





No passado dia 28 de Maio, enquanto a Igreja celebrava a ascensão do Senhor ao céu, a comunidade do VTS de Aveiro e Pinheiro marcava este acontecimento com uma caminhada que nos deixou bem próximos do céu.

Inicialmente, a subida revelou-se difícil, demasiado íngreme, avançamos passo a passo, devagar, mas com vontade de chegar ao topo. Os mais valentes abriam caminho e ajudavam os que pensavam não ter força para chegar ao objetivo. A pouco e pouco a aldeia mágica, Drave, ficava mais perto e nós cada vez mais perto do paraíso…

Do mesmo modo vamos vivendo o nosso dia a dia, avançando a passo tímido ou firme, consoante os obstáculos que encontramos, mas sempre com o mesmo objetivo, o de encontrarmos a felicidade, o paraíso, o céu… No caminho muitas são as propostas para alcançarmos a tão desejada felicidade, algumas propostas são mais aliciantes que outras, muitas levam-nos a becos sem saída, outras apesar de árduas trazem-nos recompensas maiores. Assim é a vida, assim é o caminho, cheio de encruzilhadas, de escolhas…

Neste encontro pudemos descobrir não só o caminho para Drave, mas também um caminho para a felicidade através de exemplos bem concretos, como a vida de S. Domingos e de Teresa de Saldanha. Ser os olhos, os ouvidos, as mãos de Deus neste mundo, nesta vida… esse é o caminho e no fim de cada dia sentir-se agradecido por cada pessoa, por cada amanhecer e oportunidade de recomeçar a caminhada!




Liane Pinho

VTS Aveiro

14 março, 2017

Dia do Voluntariado - Aveiro

Dia 19 de fevereiro de 2017


Um domingo incrível, lá acordámos cedinho para ir para a casa das Irmãs para mais um dia de voluntariado. Acordar cedo é sempre chato mas quando é para coisas que gostamos não custa nada.

Neste dia reunimo-nos todos em casa das Irmãs para ajudar com algumas tarefas que eram preciso ser tratadas com um bocadinho de urgência. Animámos a Eucaristia da comunidade e depois fomos distribuídos pela casa toda, desde o quarto andar até à garagem.

Algumas das pessoas que participaram neste dia de voluntariado já sabiam o que era arrumar a garagem portanto foi mais do mesmo. Estivemos também a arrumar material do VTS e até a organizar bugigangas para uma roda da sorte! Nós somos incríveis.
Como o tempo passou tão depressa, ficámos com alguma fome… E quem melhor para cozinhar para nós, senão nós mesmos. Exatamente, todos trouxemos alguma coisa para o melhor almoço partilhado alguma vez visto. Havia um pouco de tudo. Algumas das Irmãs da casa até ficaram com um bocadinho de inveja de tão bons cozinheiros que nós somos.
Algo importante deste dia foi passar tempo com as Irmãs. Elas gostam muito de ter visitas e é sempre muito enriquecedor ouvir novas histórias destas pessoas tão corajosas que viveram em tempos tão complicados… É também motivador para nós saber que podemos ultrapassar qualquer tipo de obstáculos com a ajuda d’Ele.

Algumas das Irmãs recordam-se de nós e isso é sempre bom! Quando vamos visitar as irmãs e elas tratam-nos pelo nome ou reconhecem as nossas caras, enche-nos o coração.
Depois deste momento com as Irmãs e a tratar das últimas coisas fomos todos para o quinto andar apanhar um bocado de sol, descansar e falar um bocado do que foi este dia.
Tenho a certeza de que todos gostaram deste dia e sei que vai haver muitos mais assim!

Luís Almeida
(VTS Aveiro)

15 fevereiro, 2017

Conferência com o frei Timothy Radcliffe

No passado sábado, dia 28 de fevereiro assiti a uma conferência do frei Timothy Radcliffe. Foi um verdadeiro privilégio e só me apercebi disso quando a mesma terminou.
A verdade é que até há muito pouco tempo desconhecia este pregador dominicano.

Com o aproximar da data da conferência fui tentado obter mais informações sobre ele.
Este frei foi um dos chefes da Ordem Dominicana, inglês e muito requisitado em todo o mundo. Segundo o frei José Nunes, antigo provincial de Portugal, há muito que ele tinha sido convidado, mas a agenda não o permitia. Contudo quis Deus que ele viesse a Portugal nesta altura, em que encerramos as comemorações dos 800 anos da Ordem.

Bom...a conferência.....O tema da mesma no sábado era:"How can the conscience of the Laity be heard?" (Como escutar a voz dos leigos na Igreja?). Foi um tema que me tocou bastante pois como leiga que sou é preciso saber o meu papel na e dentro da Igreja. O frei começou por falar sobre a existência da coisciencia, como devemos de a "formar", e depois então explicou, brilhantemente, as suas ideias. Não me quero alongar muito mais pois em breve quero partilhar o texto convosco.

Nesta conferência estiveram presentes muitas irmãs, freis e leigos.
Gostei muito da pessoa que transparecia ser o frei Timothy.

No domingo, a conferência falava sobre a santidade do corpo. Mas infelizmente não me foi possível comparecer. Deveres maternais vêm sempre em primeiro lugar.

Penso que no mundo de hoje, faz-nos falta aprofundar os nossos conhecimentos e, neste aspeto, muito temos a aprender com os dominicanos que estudam bastante ao longo da sua vida. Às perguntas complexas e dificeis, segundo o frei Timothy, devemos dar respostas simples. Mas nunca devemos ter medo dessas perguntas.


Creio que os cristãos, de uma forma geral, deveriam aprofundar mais os conheciemntos da Sagrada Escritura...para melhor compreender o mundo...e o quotidiano. Mas façamos caminho juntos!


Com ternura

Ângela