28 setembro, 2016

Peregrinação do Rosário em Fátima - Testemunho de Aveiro


Apesar de ter chegado um bocado mais tarde pude assistir ainda à atuação do Coro, na parte das conferências (Festa da Família). Eu não conhecia os cânticos mas fiquei encantado com as vozes de todos os membros do coro. Todas as Irmãs foram espetaculares sendo muito acolhedoras e ajudando no que era preciso.
Pude conhecer gente de outro VTS, o que foi muito bom, assim como conhecer o outro grupo de jovens que estava connosco (MJD – Movimento Juvenil Dominicano). Foi uma experiência diferente, não estava à espera de algo assim. A comida era muito boa, os estabelecimentos eram muito agradáveis e senti-me muito acolhido.
Gostei imenso das duas celebrações, tanto a Vigília de sábado com a Missa de domingo. Foi bom participar na animação da celebração de sábado, na Basílica de Nossa Senhora do Rosário, que é muito bonita. A celebração de domingo foi Eucaristia, ouvi as leituras e o Evangelho e perceber que tipo de mensagem é que estou a captar e onde posso aplicá-la.
Depois da celebração de domingo tive um momento para conhecer um bocado de Fátima e dei um bom passeio acompanhado por algumas pessoas. Estava muito ansioso para voltar para Aveiro mas ao mesmo tempo gostava de ter ficado mais algum tempo com todos para podermos conviver, o que me é muito natural.

Foi, sem dúvida, uma boa experiência, gostava de repetir.

Luís Almeida
VTS de Aveiro

Loja Social do VTS, AVEIRO ESTEVE EM FESTA!!!



No dia 24 de setembro de 2016, o VTS Aveiro, organizou uma festa na sua loja social. A festa teve como principais objectivos a divulgação da loja bem como da nossa fundadora Teresa de Saldanha. Aproveitamos o facto de estarmos no mês em que se realiza o aniversário de Teresa de Saldanha e oferecemos grandes promoções e uma fatia de bolo a todos os que apareceram.

A festa realizou-se entre as 9:30h e as 12:30h e os voluntários dividiram-se e enquanto uns tratavam da divulgação no mercado de Santiago, outros ficaram na loja a acolher os clientes.


Para mim esta festa valeu realmente a pena porque conseguimos não só angariar donativos, mas também dar a conhecer o nosso trabalho como voluntários de Teresa de Saldanha, especialmente na loja social.

Voluntariado Teresa de Saldanha - Quem somos, o que fazemos e onde estamos?


23 setembro, 2016

VTS de Lisboa retoma as suas actividades!

“ Procuremos viver este ano mais fervorosamente, mais zelosamente, mais santamente, que os passados.” – Teresa de Saldanha 

No passado dia 11 de setembro, a comunidade de Lisboa iniciou as suas atividades. Iniciámos da melhor forma, com a Eucaristia no Convento dos irmãos Dominicanos no Alto dos Moinhos. Apesar de não termos estado todos presentes, foi um momento marcante. As leituras e o Evangelho do dia trouxeram uma importante mensagem da misericórdia de Deus para connosco e de nós para com todos.
A misericórdia de Deus é tão profunda, tão perfeita que nada há a temer. Deus irá resgatar-nos do mais profundo dos “poços”. E, como assim é, também nós devemos dar esta misericórdia a quem connosco partilha esta vida. Há que tentar esquecer o orgulho que de nada nos serve e ser humilde para entender as nossas fraquezas e defeitos. Há que socorrer o próximo, mesmo em momentos de discussão, de desencontros, mesmo quando temos razão e o outro não. Há que ir ao encontro do outro e resolver as coisas. É um ato de amor, de misericórdia e não de humilhação. Neste ponto, ainda temos um longo caminho a percorrer. A aprender dia a dia a receber e a dar a misericórdia uns aos outros. E, também neste ponto, temos muito a aprender com o exemplo de vida de Teresa de Saldanha.
“Não há perfeição neste mundo e, portanto, devemos procurar, com o espírito de verdadeira caridade, aproveitar as boas qualidades que encontramos no nosso próximo.” – Teresa de Saldanha

  Depois da Eucaristia seguiu-se o almoço. Foi o momento para conviver, para matar saudades.
Depois do almoço juntámo-nos em Benfica, onde nos esperava a Irmã Angélica e os outros elementos e iniciámos a nossa reunião. Contámos com a doce visita da irmã Rosa Catarino que, para além de se ter juntado a nós na reunião, nos apresentou o mais recente livro da Teresa de Saldanha. Um livro com pensamentos de Teresa para nos acompanhar durante os 365 dias do ano, e uma recolha de alguns textos inéditos sobre a Madre Fundadora. Foi uma surpresa muito agradável. 


Na reunião verificámos quais, dos presentes, poderiam participar na Peregrinação do Rosário que se irá realizar nos dias 24 de 25 em Fátima. Marcou-se as datas e os dias das reuniões mensais e em que moldes se realizariam. Debateu-se os dias e locais onde iríamos realizar os momentos de oração mensais, falamos ainda sobre algumas datas e atividades a realizar com as meninas do lar Madre Teresa de Saldanha. 

A pedido da irmã Rosa Catarino, no dia 1 de novembro, tal como aconteceu no ano passado, o VTS Lisboa irá assegurar juntamente com as irmãs o dia junto ao jazigo da Madre Fundadora no cemitério de Benfica. Para mim é um momento muito especial, pois estamos “mais próximos” de Teresa. Poder entrar no seu jazigo, poder tocar no local onde ela permanece, é um momento doce. Para além de toda a carga emocional, é mais uma oportunidade de falar sobre Teresa a quem passa, a quem quer connosco partilhar um momento de oração, de partilha do que se sabe e do que se sente quando falamos de Teresa.
O meu maior desejo para o VTS Lisboa é que possamos crescer cada vez mais, mas sobretudo que este crescimento tenha bons alicerces, fortes e permanentes que consigam resistir a tempestades e abalos. Que a oração seja sempre a forma de chegar mais perto de Deus e, assim, de cada um de nós. E que, se for essa a vontade de Deus, que tenhamos mais membros prontos a percorrer connosco esta “aventura” de Fazer O Bem Sempre”.

Ângela Silva 
Comunidade de Lisboa
 

Voluntários nas JMJ...

   


Quando me pediram para escrever um texto sobre as JMJ começaram a surgir várias ideias que queria registar. Foram tantas as experiências e as aprendizagens que era difícil conseguir transmitir/escrever tudo. Por onde podia começar?? Pela fantástica experiência de ficar em famílias de acolhimento, pelas aventuras que tivemos, pelas palavras do Papa que disseram tanto, pela subida à Torre do Santuário da Divina Misericórdia que me levou a pensar que somos tão “pequenos” perante a misericórdia do Pai, ou pela visita a Auschwitz ?? Podia falar de todas essas coisas que tocaram-me de forma particular ou tantas outras experiências que tivemos, mas depois de muito pensar, de escrever e apagar, decidi falar da minha experiência como leiga Dominicana.



Saímos de Portugal como representantes do VTS, até levávamos a camisola vestida, literalmente, no primeiro dia. Mas foi na celebração dos 800 anos da Ordem dos Pregadores, na Basílica Dominicana de Santa Trindade, onde se reuniram centenas de pessoas de todo o mundo, que me senti em casa, em família, mesmo longe de Portugal. Foi impressionante ver tantos jovens, e menos jovens a participar na celebração, a Basílica estava lotada. Foi uma celebração grandiosa, apesar de ser em polaco. Tivemos a oportunidade de ver e ouvir o Mestre Geral, que era uma coisa que pretendíamos, afinal não é todos os dias que se tem a oportunidade de “estar” com o Mestre Geral (só faltou mesmo a selfie). Infelizmente, não conseguimos ficar para as restantes actividades, que se estendiam durante a noite toda, pois o cansaço já era algum, mas aquele bocadinho já valeu muito a pena. 



Nos restantes dias foi bom ver como existiam tantos Dominicanos pela Polónia. Dominicanos dos “quatro cantos” do mundo. Sempre que conseguíamos identificar algum fazíamos uma “festa” e era um orgulho dizer que também éramos Dominicanos. 


As JMJ foram sem dúvida uma experiência sensacional, para além das aprendizagens, partilhas e muitas outras coisas ficaram a vontade de voltar à Polónia e de participar nas próximas JMJ (próximas em 2019 ou próximas na Europa xD).